Igrejas Turismo
Arquitetura portuguesa no Brasil

A arquitetura portuguesa no Brasil misturou os estilos que existiam em Portugal na época e adaptou aos materiais que tínhamos aqui. As primeiras construções foram feitas a partir de 1530, com a criação das capitanias hereditárias e a fundação das primeiras vilas no Brasil.

A construção de obras religiosas era algo comum em colônias portuguesas.

Não é difícil encontrar alguma construção do período colonial em nossa cidade

A devoção a N. S. do Socorro e a construção da primeira Igreja.

A devoção a Nossa Senhora do Socorro foi trazida pelos Jesuítas, de Portugal. Que em 1671, ainda como Estado do Maranhão e Grão-Pará, começaram a dar o nome da virgem a congregações e vilas do Estado.

Os práticos constantemente guiavam embarcações que traziam e levavam os Jesuítas. Talvez daí tenha chegado a Salinópolis a primeira imagem da Santa. Como presente a um deles.
Já em 1690, o prático-mor guardava em uma pequena capela rústica, uma imagem. Onde era adorada por navegantes, pescadores e práticos. Diante dos perigos enfrentados no mar, lhe pediam o socorro.
Em 1793, Francisco Gonçalves Ribeiro, o primeiro prático de Salinópolis, pediu ao Capitão Geral, Dom Francisco de Souza Coutinho, a construção de uma igreja ou capela, para abrigar em melhores condições a imagem. Seu pedido foi atendido.

Grupos religiosos como os Jesuítas, Beneditinos, Franciscanos e Carmelitas tinham em seus quadros arquitetos que realizavam os projetos, para que os mesmos mantivessem o padrão arquitetônico.

O Capitão mandou liberar todo material necessário e com a ajuda da mão-de-obra local, em 1795, a igreja estava pronta.

O prático conseguiu ainda, a vinda do bispo Manoel de Almeida da Carvalho, para benzer a nova construção. Juntamente como ele, um padre que veio morar na cidade.

Comprou um sino e ornamentos para decorar a Igreja. E fez a doação da área onde estava localizada.
Não havia muitos elementos decorativos na parte externa, mas o interior costuma ser rico em pinturas, estatuas, altares e azulejos.

Esta Igreja já não existe mais. Foi engolida pelo mar.

A Igreja Matriz

A segunda igreja foi reconstruída a mando do Padre José Alves de Macedo, entre 1961 e 62, no local onde se encontra hoje.

Seguiu o mesmo padrão arquitetônico da antiga.

Alguns materiais foram reaproveitados do primeiro prédio e ainda podemos encontrar azulejos portugueses, trazidos no Sec. XVIII, ornamentando o interior da atual igreja.

Após algumas reformas foram introduzidos vitrais, novas janelas, imagens, mas o prédio preserva, em seu exterior e interior, todo seu passado com um toque de modernidade.

Missas

Terça feira
Matriz 18:00 novena e missa

Quinta-feira Santa
São Pedro e Matriz
19:00hs

Escola Cecília de Nazaré
19:30

Sexta-feira Santa
São Pedro, São Tomé e Escola Cecília de Nazaré
15:00hs

Sábado – Vigília
São Pedro e Escola Cecília de Nazaré
19:30 hs

Domingo de Páscoa
Matriz 8:00hs e 19:45hs
São Pedro: 8:30 e as 18:00hs